Lembranças


São tantos os pensamentos que as vezes me perco neles, sem pretensão de voltar ao local onde me encontrava. Nessa busca, quem é encontrado, por muitas vezes, sou eu. Muito tempo se passou desde a última vez, hoje tudo mudou e as mudanças, parecem fazer com que tudo se renove e um certo sentimento, ainda ronda este universo. Onde está o meu lugar? Onde está o meu tempo? Onde está a minha vida? As questões ainda são as mesmas, é difícil pensar na possibilidade de esperar as coisas acontecerem por si só. Os astros requerem paciência. Pode ser o melhor a fazer. Ou a não fazer, tendo a paciência como espera. A espera é angustiante, eu sei. Pode ser a solução ou mesmo o caminho para o desespero.
Não devia, fato. Mas ainda olho os velhos retratos, aqueles que sobraram, aqueles que se guarda até mesmo na memória. Nessa mesma mente, guardo os momentos, as passagens, o silêncio que se fazia, quebrado por um riso ou uma lágrima. Tudo parece tão distante, tão longe de ter acontecido ou existido em um breve, mas marcante momento desta vida, que vos fala agora.
E dá vontade de sair, sumir, correr ao longe, mas assim, tudo tende a retornar mais depressa, pois a fuga não tira as lembranças. Aventuras subordinadas às angustias, escravas destas, é assim. Digo, saia, elas voltam. Fortes, temíveis, afirmando a certeza de que bom foi o tempo em que a vida era doce, não havia o tão maldito amargo da saudade.
Mas enquanto isso, no quarto, ao som de mais uma música romântica entristecida, me encontrando nesses versos fáceis, chorando alguma falta, poesia cantada em versos simples, notas delicadas e voz macia. Nem o primeiro, nem o último, apenas mais um coração entre tantos, em mais uma noite ente as noites. O luar mais "inspirador", a brisa mais acariciadora. Esta noite é assim, uma descrição de pensamentos, mergulhados em uma escuridão de sentimentos. E o que é engraçado, é que sempre foi assim. Tudo passa a ser normal. O palco de acontecimentos e um só personagem assume o papel de protagonista, ganhando espaço, se desdobrando e confundindo até onde vão os limites, os seus limites.
Espero poder voltar, espero poder escrever, dizer, usar do meu jeito mais prático e dinâmico para disfarçar qualquer tipo de sentimento indesejado. A minha maneira de me encontrar e ser encontrada, é mesmo esta.

Um Sonho A Mais


Ela teve um sonho estranhamente real, porém bom
Nele tudo vazia sentido, até mesmo o que não deveria assim ser
Era noite e era dia, era escuro e difuso, era verde e sombrio
O lugar era familiar, sabia onde estava e se sentia segura
Também sabia quem estava ao seu lado o tempo todo
Talvez por esse motivo, julgava não precisar mais acordar
Porque os dois mundos eram incomparáveis e insubstituíveis
O desafio era fundí-los em apenas um, mas como ...(?)
Não controlava nem a si, seria difícil encontrar então
Uma maneira de dominar os dois lados em seu interior
As derrotas vem e vão, mas nada poderia fugir ao seu controle
Como seria fácil se o tivesse e soubesse lidar com tal poder
As palavras são sólidas e as vozes são confusas
A ordem era fugir, fugir para outro lugar onde a paz reine
E então ela possa prevalecer sobre os sentimentos
Que a amarguravam, que a impulsionavam agora
De volta a sua realidade, fraqueza e desordens da alma
A real é que seu sonho continua sendo apenas mais um sonho
E sua concretização era apenas mais uma dor, incontrolável
Dividido entre o ser e o não ser, caminhos diversos...

Sobre Amores (Não Correspondidos)


É sempre assim e nunca muda nada. A história é a mesma, como nos filmes e nos livros. Muito igual, a diferença é que se sente na pele. O que causa um certo deconforto, um grande desconforto. As evidências fogem do normal, do convencional, do que se esperava pela tradiçãos dos amores. Você geralmente sabe o que quer, sabe o que te espera, mas tem sempre algo que vai de encontro às suas escolhas. Diria que soa meio que como um sonho que nunca foi realizado e sempre fica aquela sensação de tarefa não cumprida. Tudo isso pra demonstrar que o amor muitas das vezes faz escolhas erradas. E o meu fez mais uma vez, mas não foi hoje, foi ontem na verdade. Só que ainda faz parte do presente, talvez por isso sinto tão forte dor. Quando eu a via antes, batia forte o coração, meio que parecia um estado de alerta, pra não perder nenhum detalhe, minha visão a mirava e eu acompanhava do início ao fim dos seus passos. Às vezes parava só pra ter mais algum tempo para observar. E naquela hora tudo parecia parar e correr ao mesmo tempo, as sensações eram bastante contraditórias. Queria ao menos ter a coragem de gritar para o mundo inteiro ouvir esse amor. Dizer a todos a vontade de realizar-me ao teu lado. Que eu preciso de você, mesmo você nem se lembrando de minha existência. E o pior é que você sabe, porém ignora. É uma pena, porque eu tenho mesmo muito a oferecer. Mas agora, só tenho a lamentar. Nosso tempo tá passando e você nem mesmo percebe isso. Conto com a companhia do vazio, de não ter-te aqui, de sonhar as noites com sua presença. De imaginar as conversas que nunca existirão, os momentos que nunca serão escritos, a palavras que nunca foram e nunca serão ditas. A pior das dores. Escolho as melhores frases, os mais lindos poemas dedico a ti, as mais belas melodias. Passo por mares e desertos, tormentos e desavenças, coloco-ti a frente de mim. Destruo meu orgulho, entristeço outras almas, perco a noção e o senso. Mas se é por tua causa, então está tudo bem. Esperança contra a tristeza. A esperança de acontecer o impossível.
Tristeza de sonhar com o encontro que nunca aconteceu.


"Quero me encontrar, mas não sei onde estou
Vem comigo procurar algum lugar mais calmo
Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita
Tenho quase certeza que eu não sou daqui"
(Legião Urbana, Meninos E Meninas)

Mais Do Mesmo


Às vezes é difícil aceitar quando as palavras são ditas de uma forma meio que sem pensar. Sei que acontece, mas não dá pra se acostumar, ainda mais quando essas palavras vem de pessoas as quais você se doa sem pensar, abre mão de muitas coisas sem hesitar, só para fazer esse alguém feliz.
Ela já havia conhecido o amor anteriormente, conhecido e também junto a ele passou por momentos ímpares, sem iguais, de uma simplicidade tamanha, mas de uma alegria incalculável. Da mesma forma, este mesmo amor havia a machucado, ferido com a pior dor que se possa sentir, totalmente sem escrúpulos e sem pena. O amor, palavra pequena, mas de intensidade indefinida. Ainda assim, ela deixou-se entregar mais uma vez, porque sabia que somente assim saberia o que é a felicidade. Apesar do risco, como dito em outros momentos, valia sim a pena se arriscar nesse precipício, onde para cair, bastava um passo em falso.
E por muitas vezes caiu, também por muitas vezes se levantou, mas se levantou porque não estava sozinha.
Como o tempo não pára, talvez ela se deixe levar ainda por aí, em outras aventuras, como quem deseja algo indesejável, como quem pressente o inevitável. Como quem espera pelo melhor.
Jamais andara totalmente na linha, experimentar era como que buscar pelo desconhecido, o que não era seu, mas o que confirmasse que ali poderia ser o seu lugar, se seu lar não estivesse a acolhendo como em outros tempos.
Mas de que importa agora, se o tempo foi arrancado, os sonhos tirados, é tão simples e ao mesmo tempo tão confuso. O medo fazia parte naqueles instantes, mas no resto do tempo, havia uma ausência de sentimento, talvez chamaria "o vazio", "o nada". Seria o frio parte de si?

Apenas Um Reflexo ( de momento )

A Felicidade plena só se conhece uma vez, o que vem depois é apenas um disfarce. Se é que se pode chamá-la assim - Plena. Lembra da primeira vez em que pulou numa piscina? Ou da primeira vez em que sentiu um abraço do qual não queria sair dali nunca mais? Ou um momento, em que nada mais seria perfeito e naquele instante o tempo poderia parar? É... ao menos têm-se estes espetáculos que fazem de nós não totalmente seres. Mas deixa-nos sentirmos vivos por alguns momentos. Reflexões de uma alma insatisfeita? Talvez.

14 março/2009 00:39 conclusão 17 fevereiro/2010 17:05

Muitas Vezes Os Lugares Em Relação a Espaço e Tempo São Maiores Do Que Se Pode Imaginar

Havia um mundo novo e diferente ao meu redor.
Contemplei-o. Cantei de uma forma a qual libertei-me
de todos os males.
Infinitas foram as vezes em que minhas dores não
mais presenciavam meus dias de alegria.
Sim, meus dias de alegria.
Como eles são, somente ímpares, mas dignos de serem
lembrados com ternura.
A liberdade soava como a mais pura água vinda da fonte,
matava-me a sede e mostrava-me o caminho a seguir.
O que mais desejar, senão a sua presença aqui.
Apenas a saudade me tirava o sono, mantendo-me acordada,
olhando para o nada, o escuro, a distancia.
A certeza de que um dia estivemos e tivemos o nosso momento.
Aqui há tanta liberdade, há tanta beleza e tanto espaço vazio.